1. O chamado de Neemias

Neemias recebe uma notícia de que Jerusalém fora devastada e que o povo estava recebendo influências pagãs. Diante disto, ele foi chamado a realizar uma reforma estrutural, religiosa e moral em sua terra. Após um tempo de espera e preparo, é enviado a sua missão, cumprindo o chamado com ousadia.

2. A base da liderança: Jesus

O maior exemplo de liderança descrito na Bíblia é Jesus e n’Ele destacam-se algumas características marcantes que todo líder deve conhecer para que possa seguir Seu exemplo. Além disso, um líder precisa reconhecer que, como Neemias, foi ungido por Deus para uma boa obra e para servir seus liderados.

3. Alargando as fronteiras

Neemias saiu de sua zona de conforto (Susã) e foi a Jerusalém cumprir uma missão. De modo semelhante, John Wesley, fundador do movimento metodista dedicou sua vida a pregar e levar a Palavra de Deus aos mais diversos lugares. Por ser conexional, a Igreja Metodista oferece muitas oportunidades àqueles que sentem seu coração aquecido por cumprir o chamado nas instâncias locais, distritais, regionais, nacionais e mundiais.

4. Examinando os muros

Antes de começar sua ação, Neemias examinou a situação real dos muros em Jerusalém. Aqueles que são chamados à liderança precisam conhecer a necessidade de seus liderados e da área de abrangência de sua liderança. Isso possibilitará que o líder participe ativamente dos planos de Deus para si e para os outros.

5. Reconstruindo os muros

Os muros de Jerusalém simbolizavam segurança, proteção e defesa ao povo contra os inimigos. Ao reconstruí-los, Neemias realizava uma reforma religiosa e moral. O líder precisa ter um planejamento claro e definido para que possa levar seus liderados à edificação na Palavra. Além disso, o planejamento favorece o alcance dos objetivos com sucesso e mantém o líder motivado a seguir em frente com seus projetos.

6. Reconstruiu os muros, e agora?

Depois que os muros foram reconstruídos, o trabalho de Neemias não acabou. O líder necessita compreender que depois que uma meta é alcançada, o trabalho precisa ser expandido e novas pessoas precisam ser treinadas para dar continuidade ao mesmo, pois “Sucesso sem sucessor é fracasso” (Bispo João Carlos Lopes)